Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

BRF reduz emissão de 1,5 mil kg de carbono na frota agropecuária

 

Publicado em 02/06/2022

Companhia implementou veículos com mais capacidade de transporte na frota, o que ajudou a reduzir a quilometragem percorrida e o consumo de combustível

Por Redação


Foto: Divulgação

A BRF anunciou a redução de mais de 1,5 mil kg de CO2 na operação logística de frota agropecuária nos segmentos de aves, suínos e rações. A redução é referente às operações de 2021 e está alinhada ao compromisso da empresa em ser Net Zero até 2040.

Anualmente a BRF movimenta cerca de 6,3 milhões de toneladas de carga somente no Brasil. Para otimizar o transporte, a empresa implementou novos veículos e carrocerias com mais capacidade. Todo o transporte e distribuição logística da BRF é realizado por terceiros, que são homologados por equipes especializadas e seguem padrões de gestão e qualidade estabelecidos e acompanhados pela companhia.

Os programas SSMA (Saúde, Segurança e Meio Ambiente), Demarco (Controle de documentação de motoristas), Monitoramento/sensor de fadiga (Telemetria e alertas de desvios comportamentais) e GIF (Gestão Integrada de Fornecedores) são ferramentas utilizadas para garantir que as transportadoras sigam as regras e requisitos legais, bem como, evitar desvios de conduta.

Com a nova capacidade de volume instalada da frota – que potencializou a quantidade de produtos transportados e diminuição da quantidade de viagens realizadas – a BRF também pôde reduzir no ano passado quase 2,3 milhões de km percorridos nas unidades regionais no PR, SC, MG, GO e RS. A iniciativa ainda permitiu uma redução de 663.092 litros de diesel, o que representa redução de 1.548 kg de CO2 equivalente.

OPERAÇÃO AGROPECUÁRIA

Segundo o vice-presidente de Agropecuária e Qualidade BRF, Fabio Stumpf, a frota agropecuária da BRF percorre cerca de 14 milhões de quilômetros por mês, fazendo mais de 100 mil viagens no Brasil.

“Temos mais de 1.700 veículos nessa frota, todos rastreados e com sensor de fadiga, sistema que identifica fatores de risco aos motoristas, garantindo a segurança dos envolvidos no processo logístico. Temos investido em tecnologias capazes de otimizar a operação e reduzir as emissões de GEE no segmento de transporte da companhia.” – Fabio Stumpf, vice-presidente de Agropecuária e Qualidade da BRF.

 

Artigo(s) publicado(s) na revista e relacionado(s)


 

Logística e a agenda ESG
A pandemia acelera a implantação de ações nas áreas de responsabilidade ambiental, social e de governança corporativa

 

 

Veja também: