Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Clube da Estrada vai expandir atividades para se tornar hub de negócios e logística

 

Publicado em 04/08/2022

De acordo com o CEO do Freto, startup mantenedora, o objetivo é ser uma rede potencializadora de oportunidades conjuntas para a iniciativa privada, com foco no bem-estar do caminheiro

Por Christian Presa


Foto: Divulgação

A plataforma “Clube da Estrada” irá expandir atividades para se tornar um hub logístico, viabilizando negócios no setor de transporte rodoviário de cargas. O primeiro passo desse movimento foi na comemoração do Dia do Caminhoneiro, em 25 de julho, em que o Freto, startup mantenedora da plataforma, se uniu à Trato para oferecer ações aos profissionais do setor.

O Freto assumiu a direção do Clube da Estrada em dezembro de 2021. Segundo o CEO da startup, Thomas Gautier, o objetivo é ser uma rede potencializadora de oportunidades conjuntas para a iniciativa privada, com foco no bem-estar do caminheiro.

“Nessa empreitada inédita com a iniciativa privada, operamos uma evolução”, explicou o executivo. De acordo com ele, a sinergia no setor gera impactos mais positivos. “A ideia é que novos negócios, parcerias comerciais e sem fins lucrativos surjam para potencializar o impacto já existente.”

“Ao convidar empresas que queiram se aproximar desse público ao lado do Freto, estamos contribuindo positivamente para a sociedade, transformando a vida de 2 milhões de pessoas com ações de redução de acidentes nas estradas, melhoria da saúde física e financeira, educação e várias outras ações de impacto com caminhoneiros e suas famílias.” – Thomas Gautier, CEO do Freto.

Atualmente, o Clube da Estrada está desenvolvendo pesquisas relacionadas a assuntos do cotidiano que impactam na vida do caminhoneiro. “Queremos que a sociedade entenda mais a fundo as necessidades dos caminhoneiros e os impactos de determinadas ações na sua rotina de trabalho”, declarou Gautier.

Há nove anos, o Clube da Estrada foi criado para dar apoio aos profissionais do transporte rodoviário de cargas de todo o país. Hoje, a plataforma possui oito unidades físicas em seis estados brasileiros e, já atendeu mais de 800 mil caminhoneiros, com cerca de 2 milhões de serviços prestados.

HUMANOLOGÍSTICA

O investimento na plataforma, que tem como objetivo o auxílio aos caminhoneiros, está alinhado com o conceito de Humanologística, defendido pelo CEO do Freto como uma valorização do fator humano nas operações.

“Não se trata apenas de melhoria de infraestrutura, que é necessária e vai acontecer nos próximos anos, nem de tecnologia, com logtechs ajudam a conexão e digitalização dos processos. Trata-se de pessoas”, pontuou o executivo. Ele enfatizou que as empresas que atuam nas estradas precisam considerar a qualidade dentro e fora das pistas.

“Em um mundo de inteligência de dados e plataformas tecnológicas, falar em digitalização na logística é fácil. Nosso maior desafio está em olhar o Caminhoneiro e pensar em projetos de desenvolvimento profissional, saúde, educação, evolução financeira, empreendedorismo. O olhar 360 graus de uma verdadeira Humanologística, a partir de iniciativas que o permitam passar mais tempo com a família, fazer o que gosta, ganhar tranquilidade, sonhar e viver ainda mais feliz com o seu ofício. Medidas que levem ao bem-estar, à descompressão e redução do estresse.” – Thomas Gautier, CEO do Freto.

 

Veja também: