LogTalk LogTalk

Desenvolvido pelo IPTC e SETCESP, painel do Diesel aponta as oscilações do gasóleo

Publicado em 01/08/2023

De acordo com instituto, o projeto é atualizado semanalmente; os dados brutos são colhidos junto aos levantamentos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

Por Redação

Desenvolvido pelo IPTC e SETCESP, painel do Diesel aponta as oscilações do gasóleo
Segundo o instituto, o projeto é atualizado semanalmente (Foto: Shutterstock)

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), as transportadoras gastam, em média, 35% de faturamento com o abastecimento dos veículos. Ao longo dos últimos anos, o combustível fóssil tem sofrido diversas variações que impactam diretamente não só a estrutura das empresas de transporte, mas toda a economia.

Entretanto, de acordo com o Instituto Paulista de Transporte de Cargas (IPTC), só nos últimos 12 meses, o preço do diesel caiu 34.57% para o consumidor. Diante desse cenário de variações, o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região, (SETCESP), iniciou o desenvolvimento do painel do diesel em parceria com o IPTC.

A ferramenta auxilia o transportador associado à entidade para que ele tenha mais eficiência no custo operacional e para poder acompanhar os aumentos do combustível em 106 municípios do estado.

Segundo o instituto, o projeto é atualizado semanalmente e todos os dados brutos são colhidos junto aos levantamentos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“Com o dispositivo, o transportador consegue ter uma noção sobre valores do diesel em diferentes estados, sendo possível o motorista se organizar para o momento de definição da rota que percorrerá. Contém, também, uma série histórica de como está o cenário e o que pode acontecer, desde janeiro de 2021”, disse o IPTC, em nota.

ATUALIZAÇÃO

Segundo o painel, entre os dias 16 e 22 de julho de 2023, a maioria das capitais apresentou variações não tão relevantes nos preços do Diesel S10 e do Diesel comum. No entanto, algumas localidades tiveram movimentações mais significativas, reforçando a importância de monitorar regularmente as flutuações nos preços do combustível, pois mesmo pequenas variações podem ter impactos significativos nos custos operacionais das empresas e no dia a dia dos consumidores.

‌Em Belo Horizonte, o valor do diesel comum subiu 5,25%, apresentando um valor atual em R$ 4,81. Em Curitiba, o valor do diesel comum cresceu 3,13%, fechando em R$ 4,95. Já em Porto Alegre, o valor do Diesel comum sofreu uma alteração de 2,77%, chegando a R$ 5,20.

Vitória, por sua vez, diminuiu o valor do Diesel S10 em -4,12% (Valor atual: R$ 5,35), e o valor do Diesel comum em -4,41% (Valor atual: R$ 4,99). São Paulo também teve uma queda no valor do Diesel S10 de -1,17%, finalizando o período com o valor médio de R$5,05, enquanto não houve variação no diesel comum.

Apesar de não possuir grande variação percentual nesta semana, a capital com diesel mais caro é Rio Branco, com o diesel S10 custando R$ 5,91 e o comum R$ 5,84. Já o mais barato está localizado em João Pessoa com valores do S10 em R$ 4,70 e o comum em R$ 4,60.

ANÁLISE

Segundo Ricardo Henrique, analista de dados do IPTC, no geral, o preço do Diesel S10 registrou quedas em algumas áreas, enquanto o Diesel comum se manteve relativamente estável.

“Essas variações refletem a dinâmica do mercado de combustíveis, sujeito a fatores como demanda, oferta e políticas econômicas. É importante ressaltar que as flutuações nos preços do Diesel podem ter impactos significativos para consumidores e empresas, afetando seus custos operacionais e despesas diárias. Por isso, é essencial acompanhar de perto essas variações e estar ciente das tendências do mercado”, comentou o analista.