LogTalk LogTalk

DHL investirá R$ 2,6 bilhões na América Latina entre 2023 e 2028; Brasil será destaque

Publicado em 13/07/2023

Companhia destacou foco na otimização da rede de fulfillment, digitalização, transporte e armazenagem renováveis e iniciativas ESG, como treinamento e programas de diversidade

Por Christian Presa, com informações de Assessoria de Imprensa

investimento dhl brasil américa latina negócios mundologística
No Brasil, foco é na cadeia de frio (Foto: Divulgação)

A DHL Supply Chain anunciou nesta quarta-feira (12) que investirá € 500 milhões — R$ 2,6 bilhões, em conversão direta — na América Latina entre 2023 e 2028. Brasil e México seguem como prioridade da companhia na região.

Em coletiva para a imprensa, o CEO global da DHL, Oscar de Bok, pontuou quatro das maiores tendências de Supply Chain: comércio global, e-commerce, digitalização e sustentabilidade. Nesse sentido, o executivo destacou que os investimentos na América Latina serão focados ações como otimização da rede de fulfillment da companhia, descarbonização das operações e programas de diversidade. 

Bok enfatizou que crescimento exponencial do e-commerce na América Latina, atrelado à elevada quantidade de consumidores, demanda expertise logística. “Queremos oferecer opções diversificadas de Supply Chain para as companhias e garantir que elas tenham seus produtos distribuídos.”

Segundo o executivo, o “orçamento ambicioso” é um indicativo da confiança no potencial da região. “A América Latina nos traz oportunidades únicas.”

Agustin Croche, CEO da DHL Supply Chain América Latina, destacou o momento crucial da América Latina e como a companhia pretende aproveitá-lo. “Somos cerca de 40 mil colaboradores nesta região e cada um de nós representa um elo único que contribui positivamente com o setor e dá suporte a cada um de nossos clientes, com quem buscamos sempre um crescimento sustentável e manter relacionamentos de longo prazo.”

CDS EM TODA A AMÉRICA LATINA

Com mais de 240 unidades, a empresa ampliou a atuação na região. No Brasil, por exemplo, anunciou recentemente a ampliação e a modernização do CD em Goiás, ao mesmo tempo em que expande a atuação e presença em Extrema (MG) para diversos clientes e setores como o farmacêutico e o de varejo de moda.

No Chile, a DHL anunciou o centro de distribuição em Pudahuel, enquanto no México, a empresa ampliou a presença com novos depósitos em Tijuana e Monterrey. Outra novidade para o país foi o campus no Estado do México, que atenderá principalmente aos setores de comércio eletrônico, varejo, moda, consumo, dispositivos médicos, aeroespacial, eletrônicos e automotivo.

RASTREABILIDADE END-TO-END

Com um portfólio de iniciativas de digitalização e soluções logísticas padronizadas e sustentáveis, a DHL Supply Chain ressaltou a aposta nos segmentos de temperatura controlada, dispositivos médicos, ensaios clínicos e outros.

Além dos centros de distribuição especializados no Brasil, a multinacional conta especialmente com uma frota de 500 veículos que atendem esse setor.

LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL E DIVERSA

Em comunicado, a companhia enfatizou o roteiro de sustentabilidade para alcançar a marca de emissões zero nas operações do grupo até 2050. Com investimentos de até € 7 bilhões — R$ 37,6 bilhões, em conversão direta — no período de 2020 a 2030, fará uma série de ações e investimentos nos países latino-americanos.

Entre as iniciativas estão veículos elétricos, híbridos e movidos a biogás, com uma frota de cerca de 200 unidades, além de painéis solares, gestão de energia e programas de reciclagem nos centros de distribuição da empresa.

Em termos de diversidade e inclusão, a DHL pontuou o objetivo de preencher a lacuna de gênero no setor de logística. A companhia lançou, no Brasil e no México, o programa “Mulheres ao Volante”, no qual as mulheres são alocadas como motoristas de parte da frota elétrica da empresa.