Assinatura Assinatura

DP World recebe navio porta-contêineres movido a GNL no Porto de Santos

Publicado em 29/01/2024

Em comunicado, companhia destacou que navios movidos a GNL emitem 40% menos gases de efeito estufa e são considerados uma alternativa sustentável para operações marítimas sustentáveis

Por Redação


O GNL é considerado um combustível alternativo sustentável para operações marítimas (Foto: Divulgação)

A DP World recebeu o CMA CGM BAHIA, um navio porta-contêineres movido a gás natural liquefeito (GNL), no Porto de Santos. O CMA CGM BAHIA, com 336 metros de comprimento e capacidade para mais de 13 mil TEUs, iniciou sua viagem em Singapura no dia 28 de dezembro de 2023, atracando no Porto do Rio de Janeiro antes de fazer escala no Porto de Santos, no dia 22 de janeiro. A viagem da embarcação inclui diversas paradas em portos brasileiros, antes de retornar a Santos na viagem de volta a Singapura.

De acordo com a companhia, os navios movidos a GNL estão ganhando reconhecimento por suas emissões reduzidas de gases de efeito de estufa, tornando-os uma opção mais sustentável no transporte marítimo. Emitindo 40% menos CO2 do que o carvão e 30% menos que o petróleo, o GNL é considerado um combustível alternativo sustentável para operações marítimas.

“Dar as boas-vindas a uma embarcação movida a GNL que emite menos CO2 alinha-se perfeitamente aos nossos esforços globais para reduzir a pegada de carbono”, disse Rodrigo Gomes, gerente comercial da DP World Brasil. Segundo o executivo, em 2024 o número de navios eco-friendly semelhantes deverá crescer no porto, refletindo o compromisso da indústria marítima em construir um futuro mais sustentável na logística global.

SUSTENTABILIDADE ALÉM DA NAVEGAÇÃO

Em 2023, a empresa iniciou o aumento do uso de energia renovável por meio da eletrificação de seus RTGs (guindaste utilizado para movimentação de contêineres) no Porto de Santos. O projeto, que visa converter 22 guindastes até 2024, funciona por meio de um conjunto com “braço elétrico”, alimentado por cabos e interligado a duas hastes. Estima-se que esta transição reduza o consumo de diesel do terminal em até 60%, consolidando ainda mais a posição da DP World como líder em operações portuárias sustentáveis.

A empresa também está embarcando em um projeto-piloto para testar RTGs movidos a hidrogênio no porto de Vancouver, no Canadá. Um combustível limpo e eficiente, o hidrogênio é uma tecnologia comprovada e uma escolha viável para alimentar máquinas pesadas. Previsto para começar no segundo trimestre de 2024, o piloto de hidrogênio estuda eletrificar 1,5 mil RTGs da frota global da DP World.