Multilog Multilog

Drink Town: DHL consolida armazém focado em bebidas destiladas em Extrema (MG) 

Publicado em 25/06/2024

Modelo permite compartilhamento de custos de armazenagem, expedição, ganhos de escala e maior flexibilidade em períodos de pico de demanda 

Por Redação 

Drink Town: DHL consolida armazém focado em bebidas destiladas em Extrema (MG) 
Centro de distribuição em Extrema, em Minas Gerais (Foto: Divulgação)

A DHL Supply Chain implementou um projeto em Extrema (MG) para aumentar a eficiência logística no mercado de bebidas. Consolidando as operações logísticas de quatro clientes, incluindo concorrentes, em um único armazém, a operadora capturou diversas sinergias e compartilhou custos. 

Em uma área de mais de 15 mil m², a DHL Supply Chain administra um estoque que, em média, abrange 7,6 milhões de garrafas, de 420 marcas de bebidas como Whisky, Rum, Gin, Vodka, Cachaça, Aperitivos, Conhaque, Espumante e Tequila. Em média, são expedidas por mês quase 600 mil caixas, entregues em todo o país. 

“Chamamos esta operação de ‘Drink Town’, por reunir quase todo o volume de bebidas destiladas que administramos no Brasil. Esse modelo traz muitos benefícios, pois compartilhamos, até entre concorrentes, custos de real estate, sistemas, estruturas de armazenagem e até itens básicos como luz, água e o diretor de Operações da DHL Supply Chain, segurança. Isso mantendo todo o sigilo das informações entre os clientes”, afirmou Marcelo Linhares. 

LOGÍSTICA COLABORATIVA 

A Pernod Ricard é cliente do “Drink Town”. Para o head de Supply Chain da companhia, Marcelo Godoy, o projeto representa uma boa relação entre eficiência e colaboração, principalmente nos aspectos de consolidação e sinergia com o compartilhamento de custos de armazenagem e expedição. 

“Sabendo que a Logística Colaborativa é o futuro, o Drink Town comprova que o compartilhamento de recursos e custos traz eficiência, aumentando a velocidade de reação e absorvendo flutuações de mercado, proporcionando uma vantagem competitiva considerável”, disse. 

FLEXIBILIDADE NAS OPERAÇÕES 

De acordo com a empresa, além da especialização dos profissionais envolvidos, outra vantagem é a flexibilidade para atender momentos de pico individuais de marcas. De forma geral, a alta temporada deste mercado é de outubro a dezembro, concentrando quase 50% da movimentação do ano, mas algum evento ou promoção pode levar a um súbito aumento pontual de demanda. 

“Quando temos uma elevação de demanda, conseguimos deslocar recursos de outras operações da região em sinergia, tendo assim, uma maior velocidade de reação e compartilhamento de ganhos, ou seja, trata-se de uma logística colaborativa que permite as empresas focarem em seu core business e ter a segurança de uma logística eficiente o ano todo”, ressaltou Marcelo Linhares. 

Em comunicado, a DHL Supply Chain afirmou que o próximo passo da companhia é capturar esta sinergia em transportes, com o compartilhamento de veículos para entrega aos clientes revendedores, tendo em vista que este mercado também possui os mesmos pontos de venda ao final do processo. 

POLO DE OPERAÇÕES LOGÍSTICAS EM MG 

Conforme informações levantadas pela MundoLogísitca, uma mudança importante no setor de condomínios logísticos em 2023 foi a ascensão do estado de Minas Gerais como o segundo maior mercado em termos de estoque e número de ativos, superando o Rio de Janeiro. Isso reflete um processo de consolidação e aumento da influência de outras regiões além do eixo São Paulo-Rio de Janeiro. 

A região de Extrema (MG) se consolidou em um curto período como um importante hub logístico, assumindo a 9ª posição no ranking nacional em termos de m² de galpões e condomínios logísticos, com cerca de 1,6 milhão de m² de galpões entregues até o final de 2023. Os incentivos fiscais vigentes para a região são o combustível dessa explosão imobiliária, que fez com que Extrema tivesse uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 22% na última década. 

Em 2023, Minas Gerais registrou a entrega de sete condomínios logísticos de alto padrão. As informações são da CEO da Colliers, Paula Casarini. De acordo com ela, a cidade de Extrema foi a que mais recebeu novos condomínios logísticos de alto padrão no último exercício: três deles. O município, que representa cerca de 40% do estoque mineiro, vem se destacando na atração desses empreendimentos já há algum tempo, em virtude de diferenciais, como a localização privilegiada, forte infraestrutura e incentivos fiscais.