LogTalk LogTalk

Em ação sustentável inédita, empresa alemã cria projeto de reflorestamento da Mata Atlântica

Publicado em 25/10/2022

Campanha “O Meio Ambiente Ganha o Dobro” propõe plantio de 20 árvores a cada venda de equipamento elétrico para substituir outro à combustão; ao todo, já foram plantadas 3.940 árvores na região

Um conteúdo


Foto: Divulgação

Enquanto o primeiro semestre de 2022 registrou mais de 21 mil hectares desmatados na região da Mata Atlântica (o equivalente a 117 campos de futebol por dia), a empresa alemã Jungheinrich segue o caminho inverso, investindo em soluções para reverter esse processo. Graças a campanha “O Meio Ambiente Ganha em Dobro”, a empresa que há 21 anos iniciou as operações no Brasil, já plantou 3.940 árvores até outubro deste ano.

A notícia é muito bem-vinda, pois quanto maior o número de árvores vivas, melhor a qualidade do ar e do meio ambiente. Só a área que já foi perdida nesses seis meses, por exemplo – conforme dados consolidados pelo MapBiomas Alerta, e apresentados no 3º boletim do Sistema de Alertas de Desmatamento da Mata Atlântica – deixou de neutralizar, neste mesmo período, mais de 10 milhões de toneladas de CO2 (medida usada quando se fala em emissão de gases de efeito estufa).

A iniciativa da Jungheinrich é feita em parceria com a Associação Ambientalista Copaíba, Organização não governamental (ONG) que atua na preservação e reflorestamento da Mata Atlântica. A ideia é muito simples: cada cliente que substitua um equipamento a combustão, como empilhadeira, por outro elétrico da Jungheinrich, terá garantido o plantio de 20 árvores de espécies variadas em um trecho da Mata Atlântica. Até o momento, as mudas são plantadas em uma área de 3 mil hectares no município de Socorro (SP), disponível para esse propósito. 

Mais de 40 empresas parceiras já foram envolvidas, e apenas a BASF já contribuiu com o plantio de mais de mil mudas. Dos 78 equipamentos adquiridos pela companhia química junto à Jungheinrich, 56 deles serviram para aposentar outros com tecnologia a combustão (movidos a GLP, diesel ou gasolina).

Vale destacar que cada equipamento substituído por um elétrico poupa o trabalho de 1.160 árvores, essa quantidade que seria necessária para neutralizar as emissões geradas pela máquina durante sua vida útil.

Confira abaixo o vídeo sobre o projeto:

De acordo com Ricardo Gazmenga, diretor de Operação de Tintas da BASF na América do Sul, os equipamentos adquiridos contribuirão com a redução de mais de 600 toneladas de CO2 por ano. Esse levantamento foi feito pela Fundação Espaço Eco (FEE), organização sem fins lucrativos criada pela própria BASF, em 2005, com a missão de promover o desenvolvimento sustentável no ambiente empresarial e na sociedade.

“Esse investimento faz parte da iniciativa Demarchi&Jaboatão + Ecoeficiente, que nos move a buscar soluções que combinem eficiência e produtividade. Com a mensuração de dados realizados pela FEE, conseguimos tomar melhores decisões, considerando tanto os impactos ambientais e sociais quanto os econômicos.” – Ricardo Gazmenga, diretor de Operação de Tintas da BASF na América do Sul.

Essas novas máquinas são movidas a bateria de íons de lítio, portanto à base de energia limpa e isenta de combustível fóssil. Além de oferecer emissão zero, a tecnologia é mais moderna, eficiente e segura, em relação aos modelos com baterias de chumbo-ácido, também encontradas no mercado.

Vigold Georg, vice-presidente da Jungheinrich para a América Latina, destaca a importância e orgulho de firmarem uma parceria com a BASF em que todos os envolvidos se beneficiam.

“O compromisso efetivo da BASF com os seus objetivos focados na redução da emissão de gases e na busca da eficiência energética são diferenciais cada vez mais valorizados pelo mercado”, afirma. Segundo ele, todos os clientes da Jungheinrich que participam da campanha recebem um certificado, e são convidados a conhecerem in loco a área reflorestada com espécies típicas da Mata Atlântica que fazem parte da campanha 'O Meio Ambiente Ganha em Dobro'.” – Vigold Georg, vice-presidente da Jungheinrich para a América Latina.

Essas são cuidadosamente selecionadas por profissionais do Copaíba – organização reconhecida por seu trabalho de restauração das matas nativas e de sensibilização ambiental –, respeitando a diversidade biológica e a vegetação local. Em seguida, são plantadas em uma área de conservação de 3 mil hectares no município de Socorro (SP), disponível especialmente para este fim.

Outro parceiro do projeto é a Editora Mol, que, juntamente com a Copaíba, está preparando o livro “Viva a Mata Atlântica”, que trará um rico material com infográficos e texto sobre este bioma, voltado para crianças, jovens e pais. Novidades a respeito serão apresentadas em breve.

SOBRE A JUNGHEINRICH

A Jungheinrich foi fundada em 7 de agosto de 1953, no distrito de Barmbek, em Hamburgo, e há 21 anos opera no Brasil. De uma pequena oficina, tornou-se uma empresa global e de capital aberto (com ações negociadas na bolsa alemã), sendo atualmente uma das líderes em soluções e gestão de armazenagem e de fluxo de materiais.

O portfólio da companhia inclui grande variedade de empilhadeiras e de sistemas automatizados de armazenagem. Representada em mais de 41 países, a Jungheinrich emprega mais 18 mil pessoas em todo o mundo. Mais informações no site oficial.

SOBRE A BASF

A BASF existe desde 1865, opera seis unidades Verbund (integração da produção e verticalização) e 241 unidades de produção adicionais em mais de 90 países. O grupo possui mais de 111 mil colaboradores em todo o planeta, contribuindo para o sucesso dos mais variados clientes em quase todos os setores.

O portfólio da empresa está organizado em seis segmentos: Químicos, Materiais, Soluções Industriais, Tecnologias de Superfície, Nutrição, e Cuidados e Soluções Agrícolas. A BASF gerou vendas de 78,6 bilhões de euros, em 2021, e suas ações estão listadas na bolsa de valores de Frankfurt (BAS), e como American Depositary Receipts (BASFY) nos Estados Unidos. Mais informações no site oficial.

SOBRE A COPAÍBA

A Associação Ambientalista Copaíba é uma organização sem fins lucrativos qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), atuando nas Bacias Hidrográficas dos rios do Peixe e Camanducaia em três áreas que se complementam: produção de mudas de árvores de espécies nativas regionais, restauração das matas nativas e sensibilização ambiental. Mais informações no site oficial.

SOBRE A EDITORA MOL

Fundada há 15 anos, é especializada em criar produtos socioeditoriais, isto é, a publicação impressa de conteúdo positivo, patrocinada para a distribuição gratuita ou vendida no varejo por um valor acessível, e com renda revertida para uma causa. O propósito da MOL é promover a cultura da doação e unir pessoas, marcas e causas.

Desde 2008, a editora somou mais de R$ 52 milhões doados, agregou 200 títulos ao seu portfólio, vendeu mais 27 milhões de produtos, e beneficiou cerca de 160 ONGs. Mais informações no site oficial.