Multilog Multilog

Operadores logísticos contrataram mais de 20 mil profissionais em 2023 

Publicado em 03/06/2024

De acordo com levantamento do ABOL, a tendência é de que novas vagas sejam abertas nos próximos meses caso a desoneração da folha de pagamentos não seja interrompida 

Por Redação 

Operadores Logísticos contrataram mais de 20 mil profissionais em 2023 
Operadores logísticos (Foto: Shuttestock) 

Operadores logísticos filiados à Associação Brasileira dos Operadores Logísticos (ABOL) contrataram, aproximadamente, 20 mil novos colaboradores em 2023. De acordo com levantamento anual realizado pela entidade, o perfil de contratações mudou desde o ano passado para 87,5% das empresas entrevistadas, sendo agora menos focado em vagas temporárias.  

Além disso, 85,7% das companhias consultadas que oferecem os serviços de transporte, movimentação e armazenagem disseram pretender abrir novas vagas este ano. 

De acordo com a ABOL, isso de ocorre caso a desoneração da folha for garantida para este ano, conforme prevê acordo que deve ser homologado em breve no STF, envolvendo Governo Federal e setores atualmente contemplados. 

 “Segundo a proposta, que não é a ideal para os operadores logísticos, mas traz um alívio em relação às contas de 2024, será iniciada uma reoneração gradual a partir de 2025, de 5% ao ano, com o processo se estendendo até 2028, atingindo 20% na cobrança de alíquotas”, afirmou a associação em comunicado. 

Sem a homologação do acordo, os impactos negativos serão no mercado de trabalho e nas operações, uma vez que as novas vagas previstas não seriam mais abertas e algumas empresas precisariam demitir. Com menos gente trabalhando, a qualidade e a rapidez dos projetos logísticos seriam impactados e precisariam ser ajustados. 

CONTRATAÇÕES NA LOGÍSTICA 

De acordo com levantamento da ABOL, os números de 2023 acompanham o incremento verificado no setor de transportes, de janeiro a novembro de 2023, quando foi gerado um total de 106.683 empregos — conforme o Boletim de Conjuntura Econômica da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, também registraram 70,5 mil vagas abertas no Transporte Rodoviário de Cargas em 2023. 

 Além disso, no total de empregos gerados, o setor de serviços, que inclui transporte, armazenagem e correios, obteve um saldo positivo de 886,2 mil, ou seja, 60% dos empregos formais do período. 

Do total de contratações feitas pelos operadores logísticos em 2023, a maioria foi para a área operacional, afirmaram 71,4% dos participantes da pesquisa. Em seguida, aparecem o setor administrativo e os departamentos de logística e intralogística. Além disso, o estudo avaliou o regime de trabalho adotado pelos OLs. 

 Atualmente, 64,3% seguem o modelo híbrido, com exceção do operacional, seguindo o movimento de 85,6% das companhias brasileiras — conforme estudo feito pela consultoria imobiliária JLL. O restante está totalmente presencial em todos os ramos. 

DESAFIOS INTRÍNSECOS 

Apesar do cenário otimista e promissor, os operadores logísticos ainda encontram algumas dificuldades na hora de contratar novos funcionários. Entre os principais desafios mencionados estão a atração, devido à baixa remuneração e benefícios comparados com o mercado geral, competitividade na região, qualificação técnica, modelo de trabalho, flexibilidade de horário, candidatos aderentes à cultura da empresa, escassez de talentos e questões comportamentais. 

De acordo com a ABOL, a carência de empregados habilitados também chegou a ser apontada na pesquisa com o perfil do OL, desenvolvida em parceria com o Instituto de Logística ILOS. Na ocasião, 45% dos entrevistados disseram que quase sempre esbarram em obstáculos na contratação de mão de obra especializada. 

Alguns pontos mencionados pelos OLs podem estar alinhados ao relatório “Tendências de Gestão de Pessoas”, desenvolvido pelo Ecossistema Great People & GPTW. O material mostra que 51,6% do mercado de trabalho tem dificuldade para lidar com as diferentes gerações e suas expectativas no mundo corporativo. A média é puxada, principalmente, pela Geração Z, que nasceu entre 1996 e 2010. O relatório aponta que a combinação com os trabalhadores mais jovens não aconteceu para 68,1% dos entrevistados. 

Em meados do ano passado, os Operadores Logísticos chegaram a destacar a reviravolta causada pelos “nativos digitais” no setor, já que, desde a contratação até a retenção, é necessário fugir dos padrões para atender aos anseios desse grupo.  

“Na hora de contratar esses colaboradores com hábitos diferenciados, os recrutadores afirmaram se deparar com dificuldade de interação pessoal, conhecimentos geral e técnico ainda superficiais, além de pessoas à procura de ambientes mais descontraídos, benefícios diferentes dos tradicionais, qualidade de vida e rápido crescimento profissional”, destacou a associação. 

MULHERES  

Cerca de 92% dos participantes da pesquisa da ABOL conta com mais de 10 mulheres nessas funções dentro da empresa. A principal atividade exercida por elas é a gerência. Há também as envolvidas na coordenação e diretoria. 

ESTAGIÁRIOS  

A contratação de estagiários faz parte da rotina dos operadores logísticos, de acordo com 78,6% dos OLs. Em 2023, 78,6% dos operadores admitiram até dez estudantes, enquanto outros 14,3% contrataram entre 10 e 20 graduandos, e 7,1% mais do que 20.