Informe os dados de acesso para entrar na área do assinante.

Como tecnologia de integração de softwares reduz gargalos na operação logística

 

Publicado em 02/08/2022

No contexto em que a atividade logística, de ponta a ponta, depende de sistemas diferentes, a integração é o melhor caminho para diminuir os gargalos existentes nessa operação complexa

Artigo | Por Valdemir Silveira *


Foto: Shutterstock

A operação logística representa um papel fundamental nas atividades de um negócio, ainda mais que a pandemia de Covid-19 ampliou compras via e-commerce em 97,5%, segundo comparativo do número de pedidos em 2019 e 2021, feito pela Neotrust. Paralelamente, os custos de transporte, estoque e armazenagem de mercadorias correspondem a 7,6% da receita líquida das empresas brasileiras, de acordo com o Panorama ILOS sobre Custos Logísticos no Brasil.

Por isso, qualquer erro pode impactar negativamente o caixa do negócio. No contexto em que a atividade logística, de ponta a ponta, depende de sistemas diferentes – que muitas vezes não conversam entre si –, a tecnologia de integração é o melhor caminho para diminuir os gargalos existentes nessa operação complexa.

De forma simplificada, a integração de softwares compreende qual é a linguagem utilizada por cada sistema presente na cadeia logística. Então, com a tecnologia de API (Interface de Programação de Aplicações), faz com que as informações sejam transmitidas de um ponto a outro, sem a necessidade de processos manuais. Para explicar como essa solução tecnológica reduz os problemas na cadeia logística em cada etapa, apresento o exemplo real da Joy2W, uma plataforma com soluções digitais para fretes e cargas que utiliza a plataforma de integração como serviço (iPaaS) da APIPASS.

Atendendo grandes clientes em varejo, a Joy2W tinha problemas com cumprimento de prazos de entrega. Essa dificuldade estava enraizada na necessidade de passar informações de um sistema a outro com preenchimento manual. Há pelo menos seis partes que compõem a logística de um produto do momento em que o pedido é feito à entrega.

Primeiro, a loja emite demanda de serviço de transporte após a confirmação de compra e envia para a Joy2W que encaminha as demandas de todos os clientes para a SincLog, um ERP de embarcadoras responsável pela gestão de cargas. Na sequência, esse ERP envia a demanda para um Sistema de Gerenciamento de Transporte (TMS). Depois, o TMS, simultaneamente, passa as informações para as gerenciadoras de riscos que provê o seguro das cargas e para as transportadoras. Por fim, há a emissão do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e), um documento digital que registra uma prestação de serviço de transporte.

Cada um desses seis processos, sem tecnologia de integração, necessita que uma pessoa preencha os dados de um sistema a outro, ampliando o tempo da operação como um todo. No exemplo da Joy2W, a integração fornece a conectividade para cada elo da atividade logística, garantindo a consistência dos dados e aumentando a eficiência e agilidade de cada etapa em até 15 vezes.

Importante considerar que a expedição de pedidos e demandas de entrega acontece em escalas grandiosas. Só em 2021, o e-commerce brasileiro movimentou mais de 353 milhões de pedidos, de acordo com dados da Neotrust. Nesse sentido, toda otimização de transporte representa um grande ganho para as empresas.


* Valdemir Silveira é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e possui MBA em Gestão de Projetos e em Tecnologia para Negócios. Tem mais de 18 anos de experiência no segmento de tecnologia e inovação e em 2019, cofundou a APIPASS, plataforma de integração como serviço (iPaaS) onde, desde então, atua como CEO.

Quer se manter atualizado em logística e supply chain?
Clique aqui e saiba mais!

 

Veja também: