Assinatura Assinatura

Caminhoneiro tech: gamification e o aperfeiçoamento de motoristas

Publicado em 22/12/2023

Quando pensamos em uma cultura de mais segurança nas estradas brasileiras, o gamification pode ser um caminho para acelerar a transformação cultural da logística visando a redução de acidentes 

Por Redação


Empresas têm expandido seus mercados com esse olhar para o potencial dos games na formação de motoristas (Foto: Shutterstock)

O conceito de gamification pode ser traduzido a partir do uso de plataformas e soluções tecnológicas que visam trazer a experiência lúdica do universo dos games para os mais diversos contextos – das campanhas de marketing ao engajamento dos funcionários de uma empresa em treinamentos, processos de reciclagem e formação profissional.

Sobre essa segunda possibilidade de aplicação, aliás, o gamification (ou gamificação, termo já amplamente utilizado no mercado brasileiro) tem sido um dos caminhos que transportadoras e diferentes players do ambiente logístico nacional estão implementando para capacitar motoristas de modo lúdico e acessível sobre normas internas, políticas de segurança e hábitos que tendem a contribuir com a redução de acidentes no trânsito.

Para ter uma ideia do potencial do gamification para a economia contemporânea, é válido citar que, em escala global, essa tendência já movimentou mais de US$ 9 bilhões em 2020 e deve crescer cerca de 27,4% anualmente até 2025, segundo projeção da Markets and Markets que estima investimentos na casa de US$ 30,7 dentro deste período.

E um dos fatores que explicam esse potencial está no fato de que, por meio do ludismo dos games, é possível oferecer novas experiências que envolvem as pessoas dentro de uma sociedade que dispõe de um volume infinito de informações e que está imersa em um cenário de ampla digitalização.

Nesse sentido, o gamification é também uma estratégia que facilita a "filtragem" de conteúdos e pode aumentar a atenção e interesse dos usuários por meio de técnicas estimulantes como a oferta de recompensas e a construção de jornadas de aprendizado.

GAMIFICATION: CRESCIMENTO EM DIFERENTES SETORES

Por razões como essas, a gamificação, conforme apontamos no início, vem sendo utilizada nos mais diversos setores.

"Em escala global, a gamificação já movimentou mais de US$ 9 bilhões em 2020 e deve crescer cerca de 27,4% anualmente até 2025, quando deverá atingir investimentos na casa de US$ 30,7 bilhões"

Um exemplo é a área da educação. Segundo estimativa divulgada pela Globe Newswire, até 2030, espera-se um crescimento anual superior a 30% nos investimentos em gamification voltados para os processos educacionais. O destaque especial do levantamento vai para a área dos treinamentos corporativos, mas é possível observar, inclusive no mercado brasileiro, aplicações em universidades, ensino de idiomas e dentro do processo de ampliação do ensino a distância (EaD).

Dentro desse contexto é interessante observar também que as plataformas gamificadas otimizam outras estratégias de ensino, como a aprendizagem híbrida – no qual o ensino presencial se mescla a aulas e atividades realizadas via apps e plataformas digitais – e o ensino adaptativo, no qual jornadas de aprendizagem são construídas de acordo com as necessidades de cada usuário.

Ainda na área de educacional, há diferentes exemplos de aplicativos e soluções baseadas em gamification que ganharam o mercado e têm contribuído com o aprendizado de milhões de pessoas ao redor do mundo. É o caso do Duolingo, app de ensino de idiomas que teve seu projeto iniciado ainda em 2009 e que, em 2021, alcançou a marca de mais de 100 cursos, em 41 idiomas, com receita de US$ 251 milhões.

Outro setor no qual a gamificação avança é o de marketing e vendas, facilitando a adesão de consumidores aos funis de marketing digital, engajamento com marcas e campanhas personalizadas. Em matéria recente do Portal Business Journal, são citados exemplos de grandes companhias globais como Nike, Microsoft e Samsung que desenvolveram estratégias bem-sucedidas baseadas em gamification.

Um case interessante nesse sentido é o do Starbucks, que criou a campanha "Starbucks for life", um jogo virtual que, ao longo de suas etapas, oferecia brindes e recompensas para os consumidores mais engajados da rede.

É válido citar ainda o mercado de saúde e bem-estar, no qual as plataformas de aprendizagem que seguem os caminhos lúdicos da gamificação estão ganhando espaço nos mais diversos nichos – dos apps com treinos e exercícios personalizados aos de saúde mental, meditação e fortalecimento de hábitos saudáveis. Não por acaso, a Grand View Research indicou que, só em 2022, as soluções gamificadas movimentaram mais de US$ 3 bilhões mundialmente.

GAMIFICATION: CRESCIMENTO EM DIFERENTES SETORES

Com tantas possibilidades de aplicação, faz todo o sentido que o mercado logístico enxergue a tendência das plataformas gamificadas como uma via estratégica para ações que incluem a melhoria do treinamento e da segurança de suas equipes e condutores.

No Brasil, diferentes empresas têm expandido seus mercados com esse olhar para o potencial dos games na formação de motoristas. É o caso da Onisys, que utiliza a gamificação para desenhar jornadas personalizadas de capacitação, micro-formações a partir de pílulas de conhecimento adaptadas às necessidades das empresas e motoristas; e a oferta de conteúdos que podem ser acessados via mobile e offline.

Assim, quando pensamos em uma cultura de mais segurança nas estradas brasileiras, o gamification pode ser um caminho para acelerar a transformação cultural da logística visando a redução de acidentes e preservação da vida e da segurança dos motoristas, elos fundamentais para a cadeia produtiva e econômica do país.

ESTRADAS DO FUTURO

Enfrentar o desafio dos acidentes em estradas e rodovias do Brasil não é uma questão simples e, ao mesmo tempo, trata-se de uma demanda que pede urgência. De acordo com dados da CNT (Confederação Nacional de Trânsito), só em 2022, mais de 64 mil acidentes foram registrados no país — desses, 82,1% deixou vítimas, incluindo mortos e feridos. Em termos gerais, o Brasil ocupa a preocupante posição de 3º país com o maior número de mortes no trânsito, conforme relatório da OMS (Organização Mundial de Saúde). 

MundoLogística lançou a campanha “Estradas do Futuro”, uma iniciativa que conta com patrocínio da nstech, apoio da Onisys, da Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL), da Associação Brasileira de Logística (Abralog) e da Quartzolit. Por meio da campanha, o intuito é unir os diferentes atores da cadeia logística nacional, difundindo conteúdos educacionais que tragam tanto visibilidade para a pauta da segurança no transporte rodoviário, quanto práticas e divulgação de soluções que possam colaborar com a capacitação e proteção de motoristas.

 

 

 

Exclusivo e Inteligente

Mantenha-se atualizado em Logística e Supply Chain

Saiba mais