Assinatura Premium Assinatura Premium

Modex 2024: Avanços e perspectivas na automação da intralogística

Publicado em 12/03/2024

Evento bienal é amplamente reconhecido como uma das mais importantes feiras internacionais do setor, atraindo participantes de todo o mundo em busca das últimas tendências e tecnologias revolucionárias

Por Rodrigo Barros * e Eduardo Tedesco **

Modex 2024: Avanços e perspectivas na automação da intralogística
Empresas chinesas apresentaram soluções end-to-end para a movimentação e armazenagem de materiais (Foto: Divulgação)

A cidade de Atlanta, nos Estados Unidos, tornou-se o epicentro da inovação em automação da intralogística com a abertura oficial da Feira Internacional de Automação Modex 2024. Este evento bienal é amplamente reconhecido como uma das mais importantes feiras internacionais do setor, atraindo participantes de todo o mundo em busca das últimas tendências e tecnologias revolucionárias.

A abertura oficial ocorreu no dia 10 de março, com eventos de networking para os participantes e visitantes estrangeiros de 27 países. Nesta edição, a Modex conta com 1.175 expositores, e um conteúdo técnico bastante rico com 200 seminários técnicos, cinco palestras em plenária com profissionais renomados no setor.

Outro dado interessante é que houve um crescimento de 45% na participação de expositores estrangeiros em relação à edição anterior. Com 3 pavilhões, o evento se prepara para apresentar as tecnologias consolidadas e também muita inovação relacionada a equipamentos de movimentação e armazenagem e sistemas.

No discurso de abertura, dentre os temas apresentados pelos organizadores da Modex destacamos a ênfase dada à importância de continuar buscando maximizar a resiliência e flexibilidade no Supply Chain no cenário pós-Covid-19.

De fato, não há como pensar hoje em um Supply Chain isento de relações e transações entre empresas de diferentes países, visto que os negócios de médio e grande porte no mundo moderno dificilmente se restringem a um alcance local. Feiras internacionais com boa abertura e acesso para expositores e visitantes estrangeiros como a Modex favorecem a integração e o estreitamento das relações entres empresas de diversos setores da Supply Chain e Logística a fim de favorecer o comércio internacional e o desenvolvimento regional e local das cadeias de suprimentos.

No evento de abertura houve também uma palestra do Ministro de Inovação, Ciência e Indústria do Canadá, François-Philippe Champagne, que reforçou a importância das relações internacionais para o crescimento sustentável do Supply Chain — que não deve conhecer fronteiras e evoluir continuamente. Ele ressaltou que a integração internacional promove diversas potencialidades por meio das sinergias entre as empresas que se completam e fomentam as relações de parcerias para a inovação tecnológica.

O primeiro dia da Modex foi marcado pela forte presença de empresas asiáticas, sobretudo as chinesas. Com tecnologias inovadoras e verticalizadas, as empresas chinesas apresentaram, em seus estandes, soluções end-to-end para a movimentação e armazenagem de materiais.

Tecnologias que chamaram atenção foram aquelas que fazem de uso de robôs para descarga de veículos, mas agora embarcadas com alto grau de flexibilidade. De fato, esse tipo de robô não é novidade, mas a facilidade de transportá-lo entre docas por meio de um joystick e o acesso autônomo para dentro do veículo são inovações que permitem o uso em operações para diversos segmentos.

Ainda, as câmeras acopladas ao robô permitem que o interior do veículo seja escaneado e, por meio de Inteligência Artificial, o sistema selecione a ordem de retirada das caixas. Por fim, a garra do robô funcionava por ventosas, mas permitia a pega da caixa em duas faces, dessa forma, permitindo maior facilidade e segurança para sua manipulação.

Outra novidade apresentada pelos asiáticos foi o uso de AMRs com adaptação para pega do palete. O AMR (Autonomous Mobile Robot) tem sido amplamente utilizado em soluções intralogísticas para a movimentação de materiais entre estações e setores. Todavia, a adaptação deste tipo de equipamento permitindo-o pegar o palete faz com que as estações de transferência se façam desnecessárias, dessa forma, o processo se torna mais ágil e produtivo.

Além disso, soluções para facilitar as micro-operações de fulfillment também tem ganhado espaço significativo. Com a estocagem de alta densidade aliada às alternativas tecnológicas de picking tem sido a escolha mais viável para implantar dark stores com alta produtividade.

Confira:


* Rodrigo Barros é sócio-diretor na Connexxion Brasil.

** Eduardo Tedesco é sócio-diretor na Connexxion Technologies.

Exclusivo e Inteligente

Mantenha-se atualizado em Logística e Supply Chain

Saiba mais