Multilog Multilog

Mirando mercado bilionário, Correios cria linha de operações logísticas para saúde

Publicado em 04/07/2024

Em comunicado, companhia destacou que medida faz parte da estratégia da atual gestão para reverter prejuízo de R$ 800 milhões herdado do governo anterior 

Por Redação

Correios cria linha de operações logísticas para saúde mundologistica
Estatal busca expandir e aprimorar iniciativas regionais de logística voltadas para o setor de medicamentos (Foto: Shutterstock — adaptação)

Os Correios estão lançando uma nova linha de operações logísticas voltadas para o segmento médico, hospitalar e farmacêutico. Segundo comunicado, o “Correios Log Saúde” é composto de serviços de armazenagem, separação de itens, controle de estoque, separação e atendimento de pedidos e integração aos demais serviços de entrega e logística reversa dos Correios. 

O presidente da estatal, Fabiano Silva dos Santos, destacou que o lançamento faz parte das medidas para rentabilizar a estrutura já instalada em todo o Brasil. “Estamos aproveitando a experiência acumulada em contratos regionais de logística voltada para a área da saúde e a nossa capilaridade para oferecer para empresas e governos a melhor solução logística.” 

De acordo com projeções do Mordor Intelligence, o mercado de logística farmacêutica da América Latina é estimado em US$ 6,5 bilhões para 2024 — algo em torno de R$ 35 bilhões, em conversão direta. Nesse contexto, o Brasil deve responder por 80% desse total, que equivale a US$ 5,2 bilhões — R$ 28,4 bilhões. 

Com o Correios Log Saúde, a estatal busca expandir e aprimorar iniciativas regionais de logística voltadas para o setor de medicamentos, que já existiam em estados como Minas Gerais e no Piauí, por exemplo. Em Minas, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde, a estatal realiza a distribuição de 141 toneladas mensais de medicamentos, materiais e insumos da área de saúde para todos os municípios do estado, incluindo medicamentos termolábeis, transportados em veículo refrigerado. 

Além disso, os Correios fazem a operação logística de 40 toneladas mensais de medicamentos para a Secretaria Municipal de Saúde de Contagem, o que envolve conferência, armazenagem, separação de itens, preparação e atendimento de pedidos, expedição e entrega nas UBS e hospital municipal de Contagem. 

No Piauí, os Correios realizam a gestão do armazém da Secretaria de Saúde do Estado, além de fazer toda a atividade intralogística, que inclui recebimento dos produtos, movimentação da carga, separação de itens, preparação e atendimento de pedidos e expedição. 

FOCO EM SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA 

O lançamento faz parte da série de medidas para resgatar a sustentabilidade da empresa e alcançar o lucro projetado de R$ 150 milhões para 2024. Em 2023, após o encerramento do processo de privatização, a estatal declarou que reduziu em 22% o prejuízo herdado do governo anterior e melhorou o Ebtida dos Correios em 36%.  

Segundo o comunicado, a redução do prejuízo herdado foi possível por meio de medidas de gestão que resultaram na melhoria de processos, proporcionando economia de R$ 1,3 bilhão no decorrer de 2023. 

Para 2024, a expectativa é que uma série de ações saneadoras ainda irão reduzir a despesa em R$ 1 bilhão, como a otimização da malha de transportes e a redução de custos de facilities e administrativos, como corte de viagens, entre outras. 

“Vamos sempre trabalhar pela qualidade de investimentos. O governo anterior cortou os investimentos em pessoas, estrutura, marca e inovação e estamos pagando o preço por isso. Estamos corrigindo os erros do passado, mas o tempo todo com responsabilidade fiscal e social”, afirmou Fabiano Silva dos Santos, destacando que o caixa da estatal segue saudável, sem necessidade de aporte do governo federal. 

Para o segundo semestre, a companhia prevê o fechamento de parcerias para o lançamento de novos negócios nos setores financeiro, de telefonia e de e-commerce, com destaque para o marketplace dos Correios. O contrato tem previsão de assinatura em julho, com o lançamento de uma landing page para captação de sellers 30 dias depois. 

Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), o faturamento do segmento de comércio eletrônico no Brasil em 2023 foi de R$ 185,7 bilhões.  

“Com nosso marketplace, teremos condições de extrair melhor proveito do potencial desse ecossistema. Além de fazer a venda e a logística completa para os vendedores, queremos ter um banco digital, que está em estudos para desenvolvimento ainda neste ano, para que o consumidor possa financiar sua compra na nossa plataforma”, explicou o presidente dos Correios.