Multilog Multilog

LATAM inaugura terminal de cargas 20% maior em Teresina (PI) 

Publicado em 08/07/2024

Nova estrutura conta com mais de 560m² de área total e otimiza as operações de manuseio, preparação e armazenamento de cargas domésticas 

Por Redação 

LATAM inaugura terminal de cargas 20% maior em Teresina (PI) 
Terminal de cargas no aeroporto de Teresina (Foto: Divulgação)

A LATAM Cargo Brasil inaugurou um terminal de cargas no aeroporto de Teresina (PI), em parceria com a CCR Aeroportos. Com uma área total de mais de 560m², a nova estrutura é 20% maior do que a anterior e visa otimizar as operações de manuseio, preparação e armazenamento de cargas aéreas. Esse aumento deve resultar em uma redução média de 45 minutos no tempo de liberação e recepção das cargas.  

Atualmente, a LATAM Cargo responde por 43% do mercado de cargas aéreas de Teresina em voos domésticos, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Os transportes, especialmente de fármacos, têxteis, equipamentos eletrônicos e cargas gerais, são realizados nos compartimentos inferiores das aeronaves de passageiros da LATAM, que hoje conta com voos diretos de Teresina para Brasília (14 voos semanais), São Paulo/Guarulhos (12 voos semanais), Fortaleza (7 voos semanais) e São Luís (1 voo semanal). 

LATAM CARGO: INVESTIMENTOS NO BRASIL 

Em 2023, a LATAM Cargo inaugurou as rotas cargueiras internacionais Miami-São José dos Campos, Miami-Brasília e Amsterdam-Curitiba. Além disso, ampliou de dois para três voos semanais a operação da sua rota cargueira Miami-Florianópolis, inaugurada em 2020, em plena pandemia de Covid-19. 

Já em abril de 2024, a afiliada de cargas do grupo LATAM duplicou a capacidade na capital paraense com a inauguração da rota cargueira Guarulhos-Belém-Manaus. A empresa também ampliou de 6 para 9 voos semanais suas operações cargueiras para Manaus a partir dos aeroportos de Guarulhos e Viracopos, um aumento de 30% na capacidade em relação ao ano anterior. No mesmo mês, deu início a rota cargueira inédita entre Europa e Florianópolis. 

Já em maio deste ano, a LATAM Cargo inaugurou a operação doméstica do voo semanal cargueiro Guarulhos-Recife-Manaus, que aumentou a capacidade da companhia na capital pernambucana em 62,5% na comparação com abril.  

A LATAM Cargo também anunciou o novo portfólio de produtos para voos domésticos no país. Com quatro novos serviços e a possibilidade de combinação com cuidados específicos, a companhia passou a oferecer mais opções aos seus clientes que precisam transportar mercadorias dentro do país de acordo com as necessidades. 

DEMANDA POR CARGA AÉREA SEGUE FORTE  

A inauguração do terminal de Teresina pela LATAM Cargo ocorre em um momento de forte demanda por transporte aéreo de cargas. Segundo a Associação do Transporte Aéreo Internacional (IATA), a demanda global de carga aérea por quilômetro aumentou 14,7% em maio de 2024 em relação ao mesmo mês de 2023, marcando o sexto mês consecutivo de crescimento de dois dígitos. A capacidade também cresceu 6,7% no mesmo período. 

A Associação do Transporte Aéreo Internacional (IATA) divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga de maio de 2024, que indicam crescimento anual forte e contínuo da demanda. As transportadoras da América Latina registraram aumento de 12,7% na demanda por carga aérea em maio de 2024 em comparação com maio de 2023. Em maio, a capacidade subiu 8,0% em relação a maio de 2023. 

Na América Latina, a demanda por carga aérea subiu 12,7% em maio de 2024 comparado a maio de 2023. Em maio, a capacidade subiu 8,0% em relação a maio de 2023. 

“A demanda por carga aérea aumentou consideravelmente em todas as regiões em maio, resultado do crescimento do comércio, do comércio eletrônico e das restrições de capacidade do transporte marítimo. As perspectivas permanecem muito positivas, com o índice PMI indicando expectativas de crescimento futuro. No entanto, pode ocorrer algum recuo com as imposições mais rigorosas dos Estados Unidos nas condições de entrega de comércio eletrônico da China. O aumento dos custos e do tempo de trânsito para remessas abaixo de US$ 800 pode desencorajar os consumidores dos Estados Unidos e trazer desafios significativos para o crescimento na rota comercial Ásia-América do Norte”, disse o diretor geral da IATA, Willie Walsh.