Assinatura Assinatura

Mercado de galpões logísticos deve permanecer aquecido em 2023, afirma JLL

Publicado em 12/05/2023

Previsão é de entrega superior a 3 milhões de m² em todo o Brasil ao longo do ano; 1T23 teve absorção bruta de 838 mil m², líquida de 380 mil m² e estabilidade no preço dos aluguéis

Por Redação

Mercado de galpões logísticos deve permanecer aquecido em 2023, afirma JLL
O primeiro trimestre registrou 323 mil m² incorporados ao mercado nacional, sendo 43% do volume no Estado de São Paulo (Foto: Freepik)

No primeiro trimestre de 2023, o mercado de galpões logísticos alcançou o melhor resultado do mesmo período dos últimos 10 anos em relação ao volume locado, registrando absorção bruta de 838 mil m² e líquida de 380 mil m², com taxa de vacância de 10,8% e estabilidade no preço dos aluguéis. Os dados fazem parte de estudo realizado pela consultoria imobiliária JLL.

De acordo com André Romano, gerente de Industrial e Logística da JLL, esse era um movimento esperado. “O quarto trimestre do ano costuma ser o período com maior número de negociações, mas, como tivemos um cenário atípico em 2022, as empresas esperaram o início do ano para se movimentar, o que impulsionou os dados”, analisou.

A previsão é de que o mercado continue aquecido, com estimativa de mais de 3 milhões de m² de novo estoque a serem entregues durante o ano; 55% do total deve se concentrar em São Paulo, mas há entregas em todo o Brasil. O primeiro trimestre registrou 323 mil m² incorporados ao mercado nacional, sendo 43% do volume no estado de São Paulo, 21% em Minas Gerais, 15% no Rio de Janeiro e 11% no Espírito Santo.

O mercado paulista também foi palco de grandes negociações. Enquanto os varejistas Big e Dia devolveram 45 e 15 mil m², respectivamente, a chinesa Shein locou 55 mil m² em Guarulhos e a empresa de medicamentos Grupo SC ocupou mais de 51 mil m² em Cajamar.

Minas Gerais segue firme como a segunda força nacional do setor. A vacância no primeiro trimestre de 2023 é de 6,4%, estável, porém com um leve aumento de 0,4 p.p. em relação ao quarto trimestre do ano passado. O estado registrou devolução também do Grupo Dia - 24 mil m² em Contagem. Em Extrema, foram registradas as principais ocupações do período: 26 mil m² pelo Grupo SBF, 9 mil m² pela Restitui Logística e 5 mil m² pela Dr. Otker.

A previsão da JLL é de que o crescimento do mercado de galpões logístico continue, porém, em ritmo menos acelerado. “Após o grande salto dado pelo e-commerce durante a pandemia, entendemos que deve haver uma acomodação das operações, levando a um crescimento mais sustentado”, explicou Romano.