LogTalk LogTalk

Tecnologia em papel antiderrapante amplia capacidade de carga em 65% e evita perdas de estoque

Publicado em 29/11/2023

Indústria passou a movimentar 10 camadas de pacotes por vez — 256 kg a mais; segundo a CGP Coating Innovation Brazil, a solução se aplica a qualquer produto em pó, inclusive alimentício

Por Redação

Tecnologia em papel antiderrapante ?amplia capacidade de carga em 65% e evita perdas de estoque
De acordo com o técnico, a solução pode ser aplicada a qualquer produto em pó (Foto: Divulgação)

A intralogística é um dos fatores que influencia no controle de estoque e há registros de perda de produto em centros de distribuição de até 25%, segundo dado do livro “Supply Chain: Uma visão técnica e estratégica”, de Paulo Rogério Mendes. Quando uma empresa consegue não apenas eliminar perdas, mas aumentar a produtividade na movimentação de cargas, o resultado é de grande importância.

“Foi o que conseguimos proporcionar a uma grande fabricante de sabão em pó, que passou a transportar cargas 65% maiores a cada palete com nossas folhas de papel antiderrapantes da Stabulon”, disse Filipe Thomé Paz, responsável pelo atendimento técnico e comercial de grandes contas na CGP Coating Innovation Brazil.

De acordo com o especialista, para alguns mercados, o produto é embalado em sacos de 8 kg. Seu sistema de formação de paletes é automatizado, mas alguns detalhes restringiam o volume final, porque os pacotes não são envoltos em um fardo maior, sendo empilhados diretamente um sobre o outro.

"Pela característica da embalagem plástica, somada às pequenas partículas de produto existentes no ambiente, o limite de acomodação era de seis camadas, mesmo com a utilização de chapas separadoras em papel kraft comum. Passando de seis camadas, os pacotes deslizavam e a maioria dos paletes tombava”, explicou Filipe.

RESULTADO

A tecnologia antiderrapante Stabulon foi testada junto ao fabricante de sabão com resultado imediato, usando as folhas entre as camadas de produto. “Chegamos a testar com sucesso formações em 14 camadas, mais do que o dobro até então trabalhado na empresa. Os operadores e engenheiros de embalagens ficaram extremamente surpresos e otimistas com as possibilidades de ganhos”, relatou o técnico.

Depois de uma série de testes obedecendo protocolos de segurança internos, o cliente chegou à definição de 10 camadas como padrão, sempre considerando pacotes de 8 kg sabão em pó. Com o mesmo tempo de operação, passaram a movimentar um volume 2/3 maior, com mais 256 kg de carga.

De acordo com o técnico, a solução pode ser aplicada a qualquer produto em pó, inclusive alimentícios, como farinhas e misturas.

MENOS PLÁSTICO

Além da produtividade ampliada em 65%, o uso das folhas de papel reduziu a quantidade de filme stretch utilizada e garantiu maior segurança no manuseio pelos clientes nos destinos finais.

“É um ganho de velocidade em linha que se soma aos demais, garantindo melhor performance no aspecto financeiro e no aspecto sustentável”, pontuou Filipe Paz. “Isso porque é possível reduzir o uso de stretch em 100% dos casos, o que significa muito menos plástico na logística e grande economia para os nossos parceiros.”

Estima-se que, de maneira geral, sem citar um mercado específico, sejam usadas no mínimo 300g de stretch por palete.