LogTalk LogTalk

VIA e Manhattan: Tecnologia traz mais omnicanalidade no varejo

Publicado em 07/12/2022

Uma das maiores redes de varejo do país firmou parceria com a Manhattan para expandir estratégia omnichannel em CDs e com adesão completa ao Manhattan Active


Foto: Divulgação

Um conteúdo

A Via adotou soluções da Manhattan para automação de processos (Manhattan Active Warehouse Management), gerenciamento de estoque e gestão de pessoas (labor management). O objetivo do projeto: se tornar, cada vez mais, um varejo omnichannel e completo.

Confira o vídeo abaixo:

COMO A VIA VIROU O JOGO DA OMNICANALIDADE NO VAREJO

A Via é uma das maiores redes de varejo do país, mantendo mais de 1.100 lojas entre online e offline. Com a missão de “atender o cliente onde ele quiser, com o que ele quiser, o mais rápido possível'', a companhia alavancou sua presença digital nos últimos anos, e compreendeu a necessidade do investimento em tecnologia para se adequar ao momento e se manter competitiva.

A Via começou com tecnologias focadas quase exclusivamente no offline, com participação de vendas acima de 90% pelo canal de lojas e sortimento enxuto, mono canal. Para dar conta de manter demandas do offline e expandir sua atuação para online, 3P e marketplace, a varejista buscou tecnologias logísticas mais automatizadas.

O objetivo inicial não era desenvolver um software dentro de casa. A ideia era localizar um parceiro com sistemas de vanguarda na área logística, ajudando a Via a modernizar seus centros de distribuição para um varejo omnichannel. Por isso, a varejista optou por soluções da Manhattan Associates.

A parceria ocorreu em duas etapas: primeiro, em 4 centros de distribuição (com uma versão anterior da plataforma) e depois uma migração completa para o Manhattan Active. A ferramenta trouxe algumas vantagens para a operação da Via Varejo:

IMPLANTAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE PROCESSOS

Com atualização estimada do Manhattan Active a cada 90 dias e facilidade de rollout da operação (em um processo de copia-e-cola, com pequenos ajustes), a implantação da solução fica mais simples, trazendo agilidade de parametrização e homogeneidade das operações. Durante a gravação do case, a plataforma da Manhattan respondia por entre 30% a 40% do volume movimentado. A expectativa é saltar para 80% em alguns meses, demonstrando a rápida capacidade de expansão do sistema.

PADRONIZAÇÃO DE PROCESSOS ENTRE A EQUIPE

Com centros de distribuição mais homogeneizados, o processo de treinamento das equipes também é mais rápido e padronizado. No caso da Via, as capacitações iniciais também tiveram o suporte da Manhattan Associates. Segundo Fernando Gasparini, Diretor Executivo de Supply Chain da Via, a empresa “está usando toda a estrutura inicial da Manhattan para ter as pessoas treinadas, capacitadas e mais champions do meu processo”.

FACILIDADE PARA OMNICANALIDADE NO VAREJO

Na visão da Via, o Manhattan Active facilita uma operação com omnicanalidade no varejo. Afinal, a tecnologia permite a disponibilização do estoque para onde o varejista quiser vender, com divisão entre canais de venda.

ROBUSTEZ E AGILIDADE COM GOOGLE CLOUD

Com operações em vários estados do Brasil, a Via possui centros de distribuição com soluções Manhattan desde o Amazonas até o Sul. Para operar com essa tecnologia sem problemas com latência, a Via optou por uma parceria com a Google Cloud, sem nenhum problema de intermitência ou falha técnica registrada até agora.

VIA E MANHATTAN: PRÓXIMOS PASSOS PARA MELHORIA DA GESTÃO DE ESTOQUE NO VAREJO

O projeto da Via começou em centros de distribuição estratégicos e tende a se estender mais dentro da operação. Além disso, existe uma expectativa grande para a implantação de dois módulos:

  • Slotting: viabiliza colocar o produto no lugar certo. Com o slotting implantado, é preciso andar menos no centro de distribuição, fazendo mais caixas por homem/hora. Isso sem contar a facilidade para localizar produtos – fator bastante importante na Via, dado o sortimento nos CDs atuais. 
  • Labor: um dos módulos mais importantes, focado em gestão de gente. Com a implantação, é possível ter uma visão de produtividade mais completa.