LogTalk LogTalk

Para otimizar processos logísticos, Kellogg aposta na tecnologia aliada ao conhecimento humano

Publicado em 16/02/2023

Áreas de Logística e Customer Service da companhia têm cerca de 800 colaboradores e movimentam aproximadamente 800 toneladas de produtos diariamente

Por Redação


Atualmente, a Kellogg faz parte de uma indústria alimentícia multicategorias (Foto: Divulgação)

"Automação Autêntica" está entre as tendências globais de consumo da Euromonitor Internacional para 2023. Embora a tecnologia seja responsável por simplificar as operações, o trabalho humano é uma parte fundamental da entrega de excelência para a Kellogg, empresa proprietária de marcas como Pringles, Sucrilhos, Cheez-It e Kellogg’s Corn Flakes. 

Nas áreas de Logística e Customer Service da companhia, compreendendo cerca de 800 colaboradores diretos e indiretos, a expansão do portfólio de inovações, desde a aquisição de Parati em 2016, intensifica a modernização dos processos enquanto movimenta aproximadamente 800 toneladas de produtos diariamente.

Hoje, a Kellogg faz parte de uma indústria alimentícia multicategorias, que engloba desde refrescos em pó, passando por snacks, biscoitos e macarrão, além de cereais, tornando o processo de automação do picking extremamente complexo. 

“Aqui na Kellogg buscamos otimizar os nossos processos de entregas no Brasil da forma mais tecnológica possível, com foco em agilidade para atender às demandas dos parceiros com assertividade e rapidez”, disse Daniel Augusto, diretor de CS&L da companhia no Brasil. “Porém, observamos que a humanização da logística apresenta muito mais ganhos a longo prazo, já que nosso mix de produto é extenso e os processos robóticos não são capazes de substituir a ação humana.”

Segunda a empresa, finalizar esse “quebra-cabeça” com dezenas de milhares de entregas mensais de maneira direta é uma tarefa que requer o elemento humano, com o intuito de obter organização dentro dos caminhões que distribuem os produtos da companhia no país. Investindo no modelo de fracionamento de cargas para aumentar os níveis de produtividade, a Kellogg opera rotas de transporte que permitem atender todas as regiões do Brasil com total ocupação dos caminhões e peso da carga distribuído de maneira adequada, otimizando o consumo de combustível.

Além disso, a frota já possui caminhões alinhados às iniciativas sustentáveis globais de controle da emissão de carbono da companhia. A pauta faz parte da promessa de “Dias Melhores”, plataforma de ESG da Kellogg.

“O forte sentimento de pertencimento do time de vendas é uma herança preciosa da marca Parati e priorizar o atendimento humano em diferentes pontos da cadeia segue como peça-chave para entregar uma logística de excelência”, ressaltou Daniel Augusto.

De acordo com a companhia, os seis centros de distribuição localizados nos estados de Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro têm capacidade de armazenamento de dezenas de milhares de pallets, combinando sistemas WMS, TMS e SAP. O objetivo é controlar as operações com precisão de estoque, em prol de uma malha logística mais refinada para formação de cargas, reunindo dados sobre prazos de entrega, chat e controle de validade dos produtos. 

Mesmo com os importantes avanços tecnológicos da multinacional, a Kellogg afirmou que mantém a preocupação dos lojistas locais com os grandes varejistas. O intuito disso é atribuir a mesma importância e qualidade de entrega dentro do sistema logístico da empresa com monitoramento online e em tempo real, antecipando decisões em prol da qualidade do nível de serviço.

“Nos últimos anos a evolução da Kellogg na avaliação do mercado é notória com crescimento de vendas sempre no duplo dígito. Mudamos a característica da nossa expedição de carga, concentrando no aumento da produtividade, na melhora da ocupação dos nossos caminhões e na otimização das rotas. Queremos andar de mãos dadas com nossos clientes, cultivando esse relacionamento para entender seus gargalos e onde podemos ajudá-los ao final de cada pedido”, afirmou o diretor de CS&L da companhia.