Assinatura Assinatura

Vibra fecha 2022 com Ebitda ajustado de R$ 5,3 bilhões

Publicado em 24/03/2023

Com base nos volumes do período, companhia registrou um total retorno das atividades econômicas nos mercados em que atua, não havendo mais consequências aparentes da pandemia nas vendas

Por Redação

Vibra fecha 2022 com Ebitda ajustado de R$ 5,3 milhões
A Vibra Energia divulga os resultados referentes ao quarto trimestre de 2022 e os dados anuais consolidados (Foto: Divulgação)

A Vibra Energia divulgou os resultados referentes ao quarto trimestre de 2022 e os dados anuais consolidados. No 4T22, a companhia atingiu um Ebitda ajustado de R$ 1,581 bilhão (+70,9% QoQ e -1,1% YoY) e um volume de vendas de 10,050 milhões de m³, correspondendo a uma margem Ebitda de R$ 157/m³.

Com esse resultado, a Vibra conclui o ano de 2022 alcançando Ebitda ajustado de R$ 5,3 bilhões, volume 38,553 milhões de m³ e Margem Ebitda ajustada de R$ 137/m³, com market share médio de 28,2%. O lucro líquido foi de R$ 566 milhões –queda anual de 44,8% – e a receita líquida ajustada de R$ 45 milhões, um crescimento de 14,8% comparado a 2021.

Segundo a empresa, apesar da forte volatilidade dos preços dos combustíveis entre outubro e dezembro, ao examinar os volumes do período, os dados se mostram bastante positivos (+0,8% YoY) – embora não tenha se configurado o pico sazonal típico de outubro. Para a Vibra, essa recuperação de volumes de vendas é notável ao considerar que não houve, em 2022, nenhuma contribuição de fornecimento de combustíveis para o segmento de geração térmica emergencial, que em 2021 atingiu cerca de 1,7 milhão de m³.

Ao fazer o ajuste por esses volumes de térmicas, a companhia observa um crescimento de cerca de 5% YoY nas vendas. Constata-se, assim, um total retorno das atividades econômicas nos mercados em que atuamos, não havendo mais consequências aparentes da recente pandemia nas vendas.

A empresa ressaltou que a normalização dos níveis de estoque alcançada ao final de 2022 auxiliou na liberação de capital de giro, levando a um nível de alavancagem de 2,6x (dívida líquida/Ebitda LTM). O dado representa um recuo na comparação com o 3T22, quando estava em 2,8x.

“Tão importante quanto os resultados alcançados pela Vibra, é a constatação de que a companhia vem sendo capaz de atuar sob as mais diversas condições de mercado, mantendo a trajetória consistente de ganhos e superando desafios impostos em períodos com contexto adverso, como vimos em 2022 e anos recentes”, afirmou Ernesto Pousada, presidente da Vibra Energia. "Foram resultados obtidos ao passo que a estratégia de criação da nossa plataforma multienergia foi consolidada, trazendo soluções que irão prover as necessidades dos nossos clientes de ponta a ponta.”

“Especificamente para o 4T22, havia uma expectativa de volumes ainda maiores que os indicados pela sazonalidade típica, considerando que as vendas realizadas em agosto e setembro superaram as expectativas, indicando um possível aquecimento da demanda no curto prazo. Essa demanda mais intensa, ao final de 2022, de fato ocorreu. Assim, ao longo de novembro e dezembro, nossas expectativas se confirmaram, trazendo um ambiente competitivo mais favorável para a expansão de margens”, complementou.

AVANÇOS DA PLATAFORMA MULTIENERGIA

Para a empresa, as iniciativas para posicionar estrategicamente a Vibra rumo à transição energética – especialmente para o caso brasileiro – seguem em avanço. A companhia afirmou que está somando forças com outras empresas líderes em suas áreas de atuação, como eletricidade, biocombustíveis, etanol, biometano etc., colocando em prática a capacidade de impulsionar essas novas parcerias por meio do acesso diferenciado a mais de 18 mil clientes corporativos e à rede de mais de 8 mil postos de serviços.

A partir do trimestre passado, a Vibra evidenciou o desenvolvimento dos principais indicadores da plataforma multienergia, sob a denominação “Renováveis”, explicitando informações da Comerc e da Evolua, que já mostram importantes avanços, o que também é o caso da Zeg Biogás, EZvolt e VEM.