Assinatura Assinatura

US$ 78,6 bilhões foram investidos em soluções de segurança para a logística em 2022: confira 5 tendências de inovação no setor

Publicado em 21/11/2023

Os dados constam no levantamento da Grand View Research; a expectativa da consultoria é a de que esses investimentos cresçam 8,9% ao ano até 2030; a Campanha Estradas do Futuro – lançada este ano pela Mundo Logística tem na divulgação de ferramentas inovadoras um de seus principais pilares

Por Redação


A tecnologia exerce papel crucial na redução de acidentes e gera outra série de benefícios para o Supply Chain (Foto: Shutterstock)

Os investimentos em tecnologia ganharam um impulso significativo ao longo dos últimos anos no mercado, diante dos processos de transformação digital que se tornaram uma prioridade para organizações dos mais diversos segmentos

Para termos uma perspectiva mais clara desse cenário, globalmente, o direcionamento de recursos para a digitalização de rotinas empresariais alcançou mais de US$ 731 bilhões em 2022 e deve avançar, em média, 26,7% ao ano até 2030, segundo dados da consultoria Grand View Research.

No Brasil, esse cenário também ganhou força: de acordo com estudo da Fundação Getúlio Vargas, só em 2021, o avanço da transformação digital foi o equivalente ao esperado para um período de 4 anos.

E, dentro desse cenário de maior robustez e priorização dos investimentos em tecnologia nas empresas, a área logística se coloca como um dos vetores centrais para o desenvolvimento de inovações que impactam positivamente em diferentes processos – da gestão informatizada de toda a supply chain às plataformas de rastreamento telemático que auxiliam na prevenção de acidentes.

Em termos quantitativos, o setor logístico deve alcançar valores de mercado, em todo o mundo, superiores a R$ 15 tri, com movimentação de cargas de cerca de 92 bilhões de toneladas, conforme projeção da Transparency Market Research. E, como destacamos em matéria recente, a inovação assume um papel importante para o crescimento do mercado de logística.

Neste artigo, você poderá conferir algumas das principais tendências da tecnologia para a área de Supply Chain, sobretudo considerando o desafio da redução no número de acidentes nas estradas e rodovias.

PANORAMA DOS INVESTIMENTOS EM TECNOLOGIA NA ÁREA LOGÍSTICA

O Instituto de Logística Supply Chain (ILOS) estima que, anualmente, o setor logístico brasileiro movimente aproximadamente R$ 1,5 trilhão, empregue mais de 12 milhões de profissionais, representando 13,3% de todo o Produto Interno Bruto brasileiro.

Considerando sua importância para o país, a digitalização do setor logístico se coloca como um fator essencial para que os operadores aumentem sua competitividade e possam superar obstáculos relacionados à qualidade da malha viária nacional, problemas de infraestrutura e a própria questão da segurança e preservação de vidas nas estradas.

O lado positivo de todo esse contexto inclui o fato de que boa parte das empresas já se mostra atenta a necessidade de maiores investimentos em tecnologia: segundo o estudo “Perfil dos Operadores Logísticos do Brasil – 2022”, realizado pela ABOL (Associação Brasileira dos Operadores Logística), por exemplo, 88% dos operadores consultados já investe em ferramentas para a integração tecnológica de sua cadeia logística; ao passo que outros 78% pretendem aumentar os investimentos nessa frente.

Por sua vez, um report de 2023 do Future Today Institute que analisou tendências tecnológicas em diferentes indústrias apontou que, para supply chain, os principais drivers de inovação incluem:

  • Visibilidade da cadeia de supply chain para a chamada logística em tempo real;
  • Gestão digitalizada com base em dados e inteligência artificial;
  • Cadeias de abastecimento mais "curtas" com uso de plataformas integradas;
  • Tecnologias direcionadas para as demandas de ESG;
  • Tecnologias para o treinamento de colaboradores/motoristas.

Além desses pontos, certamente, a segurança na logística movimenta o mercado de novas ferramentas para o setor de supply chain. Não por acaso, segundo levantamento da Grand View Research, apenas em 2022, US$ 78,6 bilhões foram investidos em soluções de segurança no setor logístico global – a expectativa da consultoria é a de que esses investimentos cresçam 8,9% ao ano até 2030.

E esse crescimento se justifica quando avaliamos os benefícios de tais investimentos. Na pesquisa Securing the Supply Chain, a PwC apontou alguns ganhos importantes nesse sentido, como:

  • Melhoria na visibilidade da cadeia de investimentos;
  • Otimização da gestão de estoques;
  • Processo de desembaraço aduaneiro mais eficiente;
  • Melhoria da experiência e do relacionamento com clientes.

E isso sem falarmos nos impactos positivos para a redução de acidentes, perdas de mercadorias e de veículos.

5 TENDÊNCIAS INOVADORAS PARA A ÁREA DE SEGURANÇA LOGÍSTICA

Dito isso, com base em diferentes estudos e análises, separamos algumas das principais tendências tecnológicas que estão movimentando a área de segurança logística e que podem contribuir com a queda nos índices de mortes no trânsito, riscos para os motoristas e perdas econômicas para as empresas:

  1. Gestão de risco em tempo real: a logística real time impulsiona também a área de segurança, por meio de tecnologias de monitoramento contínuo via satélite que identifica comportamentos de risco e aumentam, concomitantemente, a visibilidade da cadeia de suprimentos.
     
  2. Inteligência artificial e video analytics: por meio de infraestruturas de IA é possível acompanhar, de modo automatizado, o perfil de direção de motoristas e uso de câmeras satelitais, por sua vez, também gera indicadores para que as empresas elaborem estratégias com foco no aumento da segurança de profissionais, cargas e veículos.
     
  3. Tecnologias para a capacitação de motoristas: o treinamento de motoristas é um dos eixos no qual os investimentos em inovação para a área de segurança logística mais se fortalecem. Por meio de plataformas de capacitação digital, por exemplo, é possível construir jornadas que acompanham os motoristas em cada etapa de seus desenvolvimentos e reduzem os riscos de acidentes através do aprendizado e mudança de mentalidade acerca de comportamentos de risco.
     
  4. Segurança da informação: a gestão de dados é um dos componentes essenciais para uma operação logística e, o uso de soluções cibersegurança é um dos drivers da inovação nesse mercado, com foco na prevenção de ataques sobre informações sensíveis – muitas delas integradas a plataformas cloud.
     
  5. Rastreabilidade: finalmente, ferramentas de rastreabilidade se colocam como uma das bases da logística em tempo real e podem também contribuir para a área de segurança, tanto no sentido de identificar problemas em veículos que possam pôr em risco os motoristas; quanto para a indicação de possíveis áreas com maior indício de roubos de carga, visando um melhor de planejamento de rotas.

Como é possível perceber, a tecnologia pode exercer um papel crucial na redução de acidentes e gerar outra série de benefícios para a área de Supply Chain.

ESTRADAS DO FUTURO

Enfrentar o desafio dos acidentes em estradas e rodovias do Brasil não é uma questão simples e, ao mesmo tempo, trata-se de uma demanda que pede urgência. De acordo com dados da CNT (Confederação Nacional de Trânsito), só em 2022, mais de 64 mil acidentes foram registrados no país — desses, 82,1% deixou vítimas, incluindo mortos e feridos. Em termos gerais, o Brasil ocupa a preocupante posição de 3º país com o maior número de mortes no trânsito, conforme relatório da OMS (Organização Mundial de Saúde). 

MundoLogística lançou a campanha “Estradas do Futuro”, uma iniciativa que conta com patrocínio da nstech, apoio da Onisys, da Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL), da Associação Brasileira de Logística (Abralog) e da Quartzolit. Por meio da campanha, o intuito é unir os diferentes atores da cadeia logística nacional, difundindo conteúdos educacionais que tragam tanto visibilidade para a pauta da segurança no transporte rodoviário, quanto práticas e divulgação de soluções que possam colaborar com a capacitação e proteção de motoristas.